Projeto

OBJETIVOS

Estabelecimento de uma prenormativa europeia para a reabilitação energética de edifícios patrimoniais de uso público ou privado.

Esta prenormativa utilizará a metodologia obtida com o projeto POCTEP RENERPATH, baseado na combinação de técnicas novas e não intrusivas para análise energética. Será implementada em primeiro lugar em edifícios singulares da comunidade de Castilla y León e na Região Centro de Portugal como um foco de radiação para o resto da UE.

 

AÇÕES

Entre as ações a serem abordadas no projeto incluem-se a criação de um relatório normalizado para a análise das necessidades energéticas de edifícios patrimoniais (EP); a definição dos materiais aplicáveis ​​na reabilitação energética de acordo com o tipo de edifício; a identificação de ações de melhoria energética na utilização destes edifícios; a quantificação das medidas propostas; e o estabelecimento de indicadores que permitam a monitorização a longo prazo das medidas adotadas.

Da mesma forma, o projeto prevê a divulgação e transferência de resultados para empresas e entidades públicas responsáveis ​​por intervenções em edifícios de interesse cultural.

 

RESULTADOS

Os resultados parciais do projeto associados às ações anteriores incluem a caracterização energética de edifícios históricos, a integração de novas técnicas em intervenções em edifícios de interesse cultural, o desenvolvimento de novos materiais energeticamente eficientes adaptados às características destes edifícios, a disponibilização de soluções energéticas acessíveis e o estabelecimento do guia metodológico RENERPATH (tecnologias e ações aplicáveis ​​quantificadas, índices de referência e viabilidade técnica e econômica) como referência normativa, aperfeiçoando este onde for conveniente ao longo deste projeto.

O resultado final é a redução do consumo de energia na manutenção e uso de edifícios patrimoniais, ao ativar os setores envolvidos na reabilitação energética (juntamente com aqueles relacionados à reabilitação arquitetónica), com os relativos à gestão, uso e aproveitamento de imóveis de interesse cultural.